24 de maio de 2017

Governo Cidadão estará em Passa e Fica para lançar pólo Turístico que impulsionará o desenvolvimento da Região

A imagem pode conter: céu e atividades ao ar livre

Passa e FicaMonte das Gameleiras e Serra de São Bento, municípios da região Agreste Potiguar, já podem se preparar para iniciar uma nova e próspera fase, impulsionada pelo turismo. Na próxima semana será lançado, através do programa Governo Cidadão, o mais novo pólo turístico do interior do RN, englobando as três cidades. “Temos um clima serrano maravilhoso que pode ser muito bem explorado e aproveitado para gerar desenvolvimento, crescimento e consequentemente empregos para a população”, afirmou o deputado Fábio Faria, um dos incentivadores do incremento turístico no Estado.
De acordo com o coordenador do programa Governo Cidadão, Vagner Araújo, o Rio Grande do Norte receberá suporte da mesma equipe que estudou e atuou no impulsionamento do turismo na região do Rio São Francisco, também no Nordeste, que inclusive virou cenário de novela. “É uma ação importantíssima. Vamos iniciar um trabalho de estruturação desses três municípios como novo pólo turístico, aproveitando os atrativos que eles já têm”, garante Araújo.
Ele ressalta que, junto à equipe especializada e à atuação do programa do Governo, é essencial que a população se engaje para que o resultado possa ser até melhor do que o obtido no São Francisco. “Poder público, empresariado, trade turístico e sociedade devem se unir e se envolver nesse trabalho”, sugere o coordenador do programa. Para Fábio Faria, é o início de uma revolução no turismo potiguar. “Com este pólo consolidado, podemos provar que o RN não se resume à praia e sol. Temos opções para o ano inteiro”, ressalta. A ação deverá ser lançada em breve, no município de Passa e Fica/RN.

Cidade no Ceará realiza o 1º Campeonato de Gente Feia; veja os vencedores



O 1º Campeonato de Gente Feia da Região Nortereuniu uma multidão na tarde deste sábado(20) no Bar do Lulu, no centro de Sobral no Ceará.
Com uma platéia prá lá de alegre e contando com a presente de várias redes de TV, Blogs e outras mídias.
Vários candidatos foram inscritos para este concurso que reuniu gente de Sobral e de várias cidades da Região Norte.  A premiação foi de 1.000,00 para o 1º lugar; 500,00 para o 2º e 300,00 para o 3º colocado.

O vencedor do primeiro concurso de "Gente Feia" foi o Evilázio, residente na cidade de Martinópole/Ce.

Evilázio recebeu o prêmio de R$ 1.000,00.

Confira também o segundo e o terceiro colocado no concurso.

Veja os Vencedores:
1º Lugar

2º Lugar

3º Lugar

Após delação do marido, Ticiana Villas Boas é afastada de programa do SBT

Ticiana Villas Boas e Carol Fiorentino em gravação de Bake Off; a segunda substitui a primeira -

Mulher do empresário Joesley Batista, Ticiana Villas Boas, 36 anos, não vai mais apresentar a terceira temporada do reality show Bake Off Brasil, que o SBT exibirá no segundo semestre. Ela será substituída pela chef em confeitaria Carol Fiorentino, que foi jurada do programa nas duas primeiras temporadas.
A decisão de afastar Ticiana da competição de confeiteiros partiu do SBT, mas teve o aval da jornalista. A rede de Silvio Santos optou por, preventivamente, escalar uma nova apresentadora para o programa, que começa a ser gravado em junho. Carol, com experiência no formato, acabou convidada para posto. O SBT agora abre testes para selecionar uma nova jurada para a atração.
Em uma conversa na tarde desta terça (23) com Fernando Pelégio, diretor-artístico da emissora, Ticiana concordou que o melhor é dar um tempo da TV. Temia-se que ela pudesse ser hostilizada por telespectadores ou rejeitada por anunciantes. Ticiana e a família estão fora do país.
Na semana passada, após o vazamento da delação premiada de Joesley Batista, Ticiana sofreu ataques na internet. No Instagram, foi criticada por seu estilo de vida glamouroso. Também teve sua credibilidade como jornalista questionada. A apresentadora, então, decidiu se afastar das redes sociais. 
Em negociação com a Procuradoria-Geral da República, Batista, um dos donos do grupo JBS, entregou uma gravação em que o presidente Michel Temer aparece supostamente dando aval para a compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha, preso em Curitiba.
Filha de uma família da elite de Salvador, Ticiana se casou com Joesley Batista em 2012, quando já era apresentadora do Jornal da Band. Em 2015, após ter seu primeiro filho, ela decidiu trocar o jornalismo pelo entretenimento e fechou contrato com o SBT.
Na rede de Silvio Santos, Ticiana trabalha por temporadas. Atualmente, está no ar com o Duelo de Mães, programa realizado por sua própria produtora e que já está totalmente gravado _e permanece na grade até o fim. Ela ainda não tinha assinado contrato para fazer o terceiro ano de Bake Off Brasil.
Carol Fiorentino, sua substituta, é formada em gastronomia e especialista em bolos e doces. Ela chamou a atenção do SBT com seu canal no YouTube, em que ensina receitas de guloseimas. Estreou na TV em 2015, como jurada de Bake Off Brasil, ao lado de Fabrizio Fasano Junior.
Comunicado do SBT
Após a publicação deste texto, o SBT emitiu nota confirmando o afastamento de Ticiana. A emissora diz que ela pediu para sair. Foi uma "elegância" da emissora. A iniciativa do afastamento foi mesmo do SBT. Leia a nota:
A apresentadora Ticiana Villas Boas acaba de solicitar à direção artística do SBT o seu afastamento da terceira temporada do reality show Bake Off Brasil – Mão Na Massa, que estava com o início das gravações agendadas para a segunda quinzena de junho, com direção de Lucas Gentil. Com o afastamento, a emissora convidou a chef confeiteira Carol Fiorentino, que foi jurada das duas temporadas anteriores, para assumir o posto de apresentadora da atração. O empresário Fabrizio Fasano Jr. segue como jurado. A emissora comunica ainda que abre testes para selecionar uma nova jurada.

PF prende quadrilha suspeita de ataques a bancos e Correios no RN e CE

Quadrilha é suspeita de tentar assaltar uma agência bancária na cidade de Jandaíra, no Agreste potiguar (Foto: Divulgação/PF)
Sete suspeitos de ataques a bancos e Correios foram presos e um adolescente apreendido durante uma operação da Polícia Federal no Rio Grande do Norte. A prisão mais recente foi nesta terça-feira (23). A quadrilha é suspeita de agir no RN e no Ceará.
Os mandados foram cumpridos em São Gonçalo do Amarante e Parnamirim, na Grande Natal. E também em Mossoró, na região Oeste do estado, onde foi preso um suspeito de ter participado do roubo a uma agência dos Correios na cidade de Icapuí, no Ceará, em março deste ano.
Segundo a PF, o adolescente apreendido agia como “olheiro”, ou seja, entrava nas agências sem levantar suspeitas, observava o movimento e depois repassava as informações para que o restante do bando pudesse agir.
Entre os detidos estão quatro acusados da tentativa de assalto ocorrida no dia 29 de março na agência dos Correios da cidade de Jandaíra, na região Agreste do estado. O vigilante da agência suspeitou da atitude de dois homens e houve uma troca de tiros. Os suspeitos fugiram sem levar nada.
Ainda segundo a PF, os presos são suspeitos de terem participado do ataque ocorrido contra as agências do Bradesco e do Banco do Brasil da cidade de Jaguaruana, no Ceará. Pelo menos 20 homens armados participaram da ação. Houve troca de tiros com a PF e a Polícia Militar e seis homens foram mortos e cinco presos.
Os acusados presos na Operação Oriente estão custodiados no Sistema Penitenciário do RN onde permanecem à disposição da Justiça. Já o menor, foi encaminhado à Delegacia Especializada de Atendimento ao Adolescente Infrator (DEA).

Quatro homens são mortos a tiros em kitnet na Grande Natal

Policiais encontraram droga dentro do kitnet (Foto: PM/Divulgação)
Policiais encontraram droga dentro do kitnet (Foto: PM/Divulgação)
Quatro homens foram mortos a tiros na noite desta terça-feira (23) no bairro de Nova Parnamirim, em Parnamirim, cidade da Grande Natal. Segundo a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), a chacina aconteceu dentro de um kitnet na rua Grossos, próximo da Casa de Pedra. As vítimas ainda não foram identificadas. Ninguém foi preso.
Dentro do imóvel, muita bagunça; segundo a polícia, aparentemente os criminosos não levaram nada do local  (Foto: PM/Divulgação)Dentro do imóvel, muita bagunça; segundo a polícia, aparentemente os criminosos não levaram nada do local  (Foto: PM/Divulgação)
Dentro do imóvel, muita bagunça; segundo a polícia, aparentemente os criminosos não levaram nada do local (Foto: PM/Divulgação)
Ainda de acordo com a DHPP, vizinhos relataram ter ouvido os tiros por volta das 23h30. A polícia foi chamada e, ao chegar ao local, encontraram os corpos. Também havia drogas dentro do imóvel.
Testemunhas disseram aos policiais que dois homens chegaram ao condomínio e tiveram a entrada liberada. A polícia também informou que não havia sinais de arrombamento na porta do kitnet.
O caso será investigado pelo 2º Distrito Policial de Nova Parnamirim.
Prédio onde fica kitnet é no bairro de Nova Parnamirim  (Foto: Marksuel Figueiredo/Inter TV Cabugi )Prédio onde fica kitnet é no bairro de Nova Parnamirim  (Foto: Marksuel Figueiredo/Inter TV Cabugi )
Prédio onde fica kitnet é no bairro de Nova Parnamirim (Foto: Marksuel Figueiredo/Inter TV Cabugi )

23 de maio de 2017

A senadora que gritava “gópi” está na lista das doações da JBS; agora quer dar “gópi” de antecipação das eleições

A senadora que gritava “gópi” está na lista das doações da JBS; agora quer dar “gópi” de antecipação das eleições


A senadora Fátima Bezerra (PT-RN) disse em Plenário que não defender novas eleições diretas para a Presidência da República é, mais uma vez, assistir a um “golpe dentro do golpe”. Ela gosta dessa palavra, não? Ao fim deste post, veja um vídeo que viralizou ao mostrá-la reclamando de “gópi” contra Dilma.
“Quem é que tem medo das diretas? Por que, de repente, estes conchavos, essa conspiração em curso para evitar a todo custo que o povo possa ser ouvido, que o povo possa ser consultado?”, disse Fatima.
O que ocorre é que não temos medo de diretas, mas sim de violações constitucionais por gente que usa formas obscuras de coletar verbas para campanhas e busca se aproveitar de momentos de crise para escolher datas para eleições. Coisa de gente de má-fé.
E agora sabemos que Fátima está na lista da JBS por ter recebido R$ 1,16 milhão de doações. Sendo que o PT foi o partido que recebeu quase metade de toda a propina da JBS, é vital que estejam querendo utilizar essa verba para retomar o poder. Claro que nenhuma pessoa honesta e que esteja em sã consciência pode cair nesse truque.

Aliados admitem cassação de Temer e avaliam nomes de Maia e Meirelles

Foto: (Dida Sampaio/Estadão Conteúdo)

Com a piora do cenário político, aliados do presidente Michel Temer admitem, de forma reservada, que pode haver a cassação, pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), da chapa formada por ele e Dilma Rousseff na eleição de 2014.

Na manhã desta terça, ministros relataram ao Blog que Temer segue com a postura de enfrentar a delação da JBS. Ou seja, não pensa em renunciar nem trabalha com a possibilidade de sofrer impeachment.

A convicção de Temer sobre o impeachment tem razão de ser. Cabe ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), aliado do presidente, analisar os pedidos.

Oficialmente, Maia nega que o tema esteja em discussão na Câmara. Ele também tem reafirmado apoio ao presidente.

Mas, segundo deputados, Maia, sempre que questionado sobre isso, tem confidenciado a aliados que não será "pela sua caneta" que Temer cairá.

Mesmo diante da resistência de Temer, aliados do presidente admitem que o "fator Rocha Loures" e a prisão do ex-vice-governador do DF Tadeu Fillipelli (PMDB) complicam a governabilidade do presidente. E assessores fazem a seguinte conta: calculam que três dos sete ministros do TSE cassariam a chapa.

Diz um interlocutor do Planalto: "Três votos contra é certeza. A dúvida é o quarto ministro. Só que antes não havia dúvidas, agora sim."

NomesNas discussões de bastidor, os nomes debatidos pelos aliados de Temer - em caso de eleições indiretas, como prevê a Constituição - são, principalmente, os de Rodrigo Maia e do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

Quem defende Maia diz que ele tem interlocução com a oposição e representaria o mesmo grupo político de Temer - para justificar que ele "herdaria" a base de apoio no Congresso.

Pesa contra Maia, na avaliação dos mesmos aliados, o fator Lava Jato. Ele é alvo de dois inquéritos autorizados por Edson Fachin.

Um dos personagens políticos que articula o nome de Maia como candidato diz que, se ele assumir a presidência da República, não poderá ser investigado.

Pela Constituição, o presidente da República só pode ser investigado por atos cometidos durante o exercício do mandato e com autorização do STF.

E Maia é acusado de crimes que teriam acontecido entre 2010 a 2014.

Uma ala do Planalto, por sua vez, defende o nome de Henrique Meirelles. Hoje ministro da Fazenda, a avaliação de defensores dele é que Meirelles tem respeito do mercado e garantiria a continuidade da agenda da pauta fiscal - principalmente as reformas.

Ventilado nos bastidores do governo está também o nome da ministra Carmen Lúcia. Mas a presidente do STF afasta a ideia a interlocutores. Ela tem negado, a quem a questionou nos últimos dias, qualquer intenção de se candidatar.

Ela repete ser um "delírio", "sem chance" e diz que não teria correspondência com sua trajetória no Judiciário.

Argumenta, também, que hoje o lugar que ela precisa estar é a presidência do STF para garantir o cumprimento da Constituição.

Além disso, a ministra teria de ser filiada a algum partido político - já que não se aceita candidatura avulsa.

MP denuncia deputado estadual Ricardo Motta por desvios de R$ 19 milhões no Idema/RN

Deputado Ricardo Motta foi denunciado por desvio de R$ 19 milhões do Idema (Foto: Eduardo Maia/ALRN)
O Ministério Público do Estado do Rio Grande do Norte, por meio de seu Procurador-Geral de Justiça, Rinaldo Reis Lima, ofereceu denúncia ao Tribunal de Justiça em desfavor do deputado estadual Ricardo Motta (PSB). De acordo com a denpuncia, entre janeiro de 2013 a dezembro de 2014, ele teria desviado, em proveito próprio e de terceiros, R$ 19 milhões em prejuízo do Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema).
O advogado Thiago Cortês, que defende o deputado, afirmou que a defesa técnica "só vai se pronunciar após ter acesso não só à denúncia mas também às provas e de antemão nega qualquer fato que possa incriminar o deputado Ricardo Motta".
De acordo com o MP, investigações realizadas pela Procuradoria-Geral de Justiça a partir de desdobramentos da operação Candeeiro - deflagrada em 2015 - revelaram que o deputado era o chefe de uma organização criminosa que desviava recursos do Idema. A organização, segundo o MP, era integrada também por Gutson Reinaldo Bezerra, então diretor administrativo do Idema, Clebson José Bezerril, que chefiava a Unidade Instrumental de Finanças e Contabilidade (UIFC) da autarquia, João Eduardo de Oliveira Soares, Euclides Paulino de Macedo e Antônio Tavares Neto.
No curso das investigações, a Procuradoria-Geral de Justiça realizou acordo de colaboração premiada com Gutson Reinaldo e Vilma Rejane Maciel de Sousa, que esclareceram todo o funcionamento do esquema de desvio de recursos do Idema. Segundo eles, o deputado Ricardo Motta era o principal beneficiário do esquema. Na denúncia, o Mp afirma que as versões dos delatores estão "amplamente corroboradas nas evidências probatórias reunidas e que dão amparo à acusação formalizada ao Tribunal de Justiça potiguar".
Segundo a denúncia, Gutson e Clebson, após receberem a autorização para movimentar as contas da autarquia livremente, passaram a expedir ofícios à agência do setor público do Banco do Brasil, realizando transferências de vultosas quantias depositadas em contas do Idema - utilizadas para receber a arrecadação de taxas ambientais – para contas ocultas, desconhecidas dos órgãos de controle e fora da contabilidade oficial da entidade pública.

Na sequência, os valores transferidos seguiam das contas ocultas para contas de diversas empresas, sendo, então, sacados e repassados aos beneficiários do esquema. A partir do segundo semestre de 2013 até o final de 2014, as transferências passaram a ser realizadas, sempre por ofícios assinados por Gutson e Clebson e dirigidos à agência do setor público do Banco do Brasil, diretamente às empresas vinculadas ao esquema, sendo posteriormente sacados em benefício dos envolvidos.
Ainda de acordo com as investigações do MP, o deputado Ricardo Motta recebeu 60% dos recursos comprovadamente desviados, sempre diretamente de Gutson Reinaldo, e em espécie, o que importa no montante aproximado de R$ 11 milhões. Segundo o MP, esses valores foram repassados pessoalmente pelo colaborador ao parlamentar em diversos locais durante o período de duração dos desvios, como no próprio prédio da autarquia estadual, no anexo da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, no escritório de advocacia R & R, na residência do denunciado e em outros locais públicos, como no lado de fora de um hospital da cidade, no final de 2014, após o deputado ter sido atendido na unidade hospitalar.
O Procurador-Geral de Justiça pediu a condenação do deputado Ricardo Motta por peculato, lavagem de dinheiro e constituição de organização criminosa.
Candeeiro
Cinco pessoas foram presas na operação Candeeiro, deflagrada pelo Ministério Público Estadual em 2 de setembro de 2015. Um deles foi Gutson Reinaldo, filho da ex-procuradora-geral da Assembleia Legislativa do RN, Rita das Mercês. Segundo o MP, Gutson era o principal responsável pelo esquema. Já houve condenações em primeira instância sobre esse caso.
Os demais presos da operação Candeeiro foram Clebson Bezerril, João Eduardo de Oliveira Soares, Renato Bezerra de Medeiros e Antônio Tavares Neto.
O ex-diretor financeiro do Idema Clebson José Bezerril - que firmou acordo de delação premiada com o Ministério Público Estadual - foi condenado por peculato, lavagem de dinheiro e associação criminosa e terá que restituir R$ 4.510.136,63 aos cofres públicos. A pena dele seria de 15 anos e 9 meses de reclusão, mas, por causa da delação, a pena foi reduzida para 9 anos e 5 meses de reclusão em regime fechado.
De acordo com o Ministério Público, o dinheiro desviado do Idema foi usado para comprar apartamentos de luxo, construir uma academia de alto padrão e reformar a loja de uma equipadora de veículos, entre outras coisas.